Ir Arriba

Os ministros de agricultura do Caribe exploram opções de financiamento para mitigar os efeitos da pandemia no setor agrícola

Las autoridades agrícolas caribeñas reconocieron, además, que contar con múltiples alternativas de financiamiento es crucial para hacer frente a los retos que arrastra la agricultura de la región
As autoridades agrícolas do Caribe reconheceram, além disso, que dispor de múltiplas alternativas de financiamento é crucial para enfrentar os desafios enfrentados pela agricultura da região

São José, 12 de junho (2020). Os ministros e secretários encarregados da agricultura de 14 países do Caribe aprenderam sobre opções de financiamento às quais poderiam ter acesso para executar ações de recuperação no setor agrícola e rural como resposta aos impactos da Covid-19.

Em uma videoconferência, representantes de entidades financeiras, organizações de desenvolvimento e doadores apresentaram aos ministros alternativas de financiamento e fundos disponíveis para fortalecer o setor agrícola, priorizando iniciativas de segurança alimentar, resiliência, recuperação econômica, inovação tecnológica, uso sustentável de recursos e preservação da biodiversidade, entre outras.

O encontro foi propiciado pelo Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA) e a Secretaria da Comunidade de Países do Caribe (CARICOM, sigla em inglês), em seus esforços para robustecer a atividade agropecuária na região.

“Estamos tentando responder as necessidades e exigências da região para mitigar os problemas da agricultura no Caribe, lançar as bases para um setor mais resiliente e robusto”, indicou Manuel Otero, Diretor Geral do IICA, organismo hemisférico especializado no setor agrícola e na ruralidade.

“A pandemia trouxe um choque sem precedentes a essa região, que está pedindo investimentos a plenos pulmões para melhorar a resiliência e a segurança alimentar. Há planos que requerem a participação dos aliados de desenvolvimento. Estamos comprometidos a sair da crise fortalecidos e a única forma de fazê-lo é pela integração regional”, explicou o Secretário-Geral da CARICOM, Irwin LaRocque.

No evento, autoridades da Argentina, do Brasil e do Uruguai também ratificaram sua disposição para colaborar e trocar experiências com os países do Caribe por meio da cooperação Sul-Sul em áreas como boas práticas agrícolas, pesquisa e desenvolvimento, melhoria genética, sustentabilidade, uso eficiente de solo, desenvolvimento de capacidades, negócios e comércio agrícola.

A Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (AECID), o Banco de Desenvolvimento do Caribe (CDB, sigla em inglês), o Fundo Verde do Clima (GCF, sigla em inglês), o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), o Banco de Desenvolvimento para a América Latina (CAF), o Banco Mundial (BM), a União Europeia (UE) e o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) foram as entidades que expuseram suas linhas creditícias e oportunidades para a dotação monetária.

“Entrar em diálogo com os organismos financeiros é muito importante. Apresentar propostas de projetos é o que nos toca para receber financiamento, revitalizar o nosso setor, que é fundamental para a recuperação econômica, e oferecer o apoio que os produtores precisam”, disse a Ministra da Agricultura e Terras de Granada, Yolande Bain-Horsford.

Enquanto isso, o Ministro de Recursos Marinhos e Agricultura das Bahamas, Michael Pintard, e o Ministro de Estado do Ministério da Indústria, Comércio, Agricultura e Pesca da Jamaica, Floyd Green, concordaram que é fundamental minimizar a burocracia que impede o acesso rápido aos fundos em geral.

“Uma das limitações para desenvolver o setor é a escassez de financiamento; um plano prático e integral que combine créditos no âmbito da região nos ajudaria muitíssimo. Que o IICA e o CARICOM sintetizem as ofertas apresentadas será grande valor, porque a esperança, a luz para a recuperação econômica de nossos países está na agricultura e nos recursos marinhos”, indicou Pintard.

“Ter uma lista dos parceiros regionais e internacionais para saber ao que temos acesso é muito útil, e agradecemos pelo esforço do IICA. Sem dúvida, agora mais do que nunca precisamos dispor de seguros agrícolas adequados na região, de modo que um acesso mais rápido aos fundos e evitar a burocracia, que muitas vezes é um impedimento, ajudaria muitíssimo”, acrescentou, por sua parte, Green.

, como a promoção do comérAs autoridades agrícolas do Caribe reconheceram, além disso, que dispor de múltiplas alternativas de financiamento é crucial para enfrentar os desafios enfrentados pela agricultura da regiãocio, a integração regional, o acesso aos mercados, melhores transportes de produtos, sistemas produtivos mais resilientes à mudança do clima, investimentos em inovação e transferência de tecnologia, desenvolvimento de capacidades, medidas sanitárias e a vinculação de jovens à atividade, entre outras.

“Haverá uma grande necessidade de financiamento para a agricultura pós-Covid-19, para os processos de recuperação, assim, agradecemos pelo apoio, pois devemos pensar sempre em garantir a segurança alimentar, em nos comprometer em atender os diversos desafios do setor, enquanto região. Esse é o momento de colaborar e de nos comprometermos, juntos”, observou o Ministro da Agricultura da Guiana, Noel Holder.

Por sua vez o IICA remarcou seu compromisso de acompanhar os países do CARICOM na execução do Plano para a Segurança Alimentar criado para mitigar as consequências da Covid-19 na região e com o que buscam um aumento de 25% na produção agrícola nos próximos 5 anos.

“Temos a disposição política do CARICOM e dos ministros, e o IICA se compromete com a decisão de acompanhá-los em suas capacidades internas e técnicas para a realização desse plano”, concluiu o Diretor Geral do IICA, Manuel Otero.

Mais informações:

Gerência de Comunicação Institucional

comunicacion.institucional@iica.int