Ir Arriba

Com o apoio do IICA, os Ministros da Agricultura do Caribe reforçam a coordenação regional para fortalecer a segurança alimentar e o comércio

Los ministros coincidieron en la necesidad de impulsar la actividad agropecuaria como una forma de proveer suficientes alimentos a la población y generar empleos, fortaleciendo capacidades técnicas y productivas acompañadas de un acceso más fácil al financiamiento, con un apoyo constante en materia de cooperación técnica a través de organismos internacionales como el IICA.
Os ministros concordaram com a necessidade de impulsar a atividade agropecuária como forma de prover alimentos suficientes à população e gerar empregos, fortalecendo as capacidades técnicas e produtivas acompanhadas de um acesso facilitado ao financiamento.

San José, 27 de outubro de 2020 (IICA). Os Ministros encarregados da Agricultura do Caribe analisaram os desafios da atual crise provocada pela pandemia, compartilharam experiências de políticas públicas e discutiram estratégias para a recuperação, em meio a uma situação premente de paralisação do turismo e fragilidade das economias da região.

Os Ministros concordaram que está pendente a tarefa de capacitar os pequenos produtores para ter acesso a financiamento, aproveitar os avanços tecnológicos e estabelecer uma maior e real sinergia com o turismo, e elogiaram o trabalho do IICA de apoio aos governos na geração de estratégias para aumentar capacidades, resiliência e relacionamento com especialistas.

No diálogo entre os ministros de Antígua e Barbuda, Dominica, Grenada, Guiana, Saint Kitts e Nevis e Suriname, do qual participou o Diretor-Geral do Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA), Manuel Otero, destacou-se a necessidade de reduzir a conta da importação de alimentos por meio do desenvolvimento da agricultura.

“Nossa visão é incrementar o valor agregado da agricultura para reduzir a conta de importação (de alimentos). Agradeço o esforço do IICA e sua contribuição à Comunidade dos Países do Caribe (Caricom)”, disse o Ministro da Agricultura da Guiana, Zulfikar Mustapha.

“Temos a sorte de contar com instituições que apoiam a um setor sumamente importante para a segurança alimentar e o desenvolvimento de nossos países. Se a Caricom puder melhorar sua agricultura, o dinheiro pode ficar com a Caricom”, acrescentou Mustapha, ressaltando que os recursos poderiam ser destinados para melhorar a resiliência da região ante às mudanças climáticas.

Na reunião, Otero referiu-se ao que denominou como "um falso dilema" entre a agricultura e o turismo na região.

“A opção não é turismo ou agricultura. É mais agricultura para mais turismo. Devemos reforçar o turismo aproveitando todas as vantagens da agricultura”, disse o Diretor-Geral do IICA, colocando também à disposição dos Ministros as experiências do IICA em matéria de bioeconomia, a fim de aproveitar o potencial da biomassa residual e da biodiversidade.

Os ministros concordaram com a necessidade de impulsar a atividade agropecuária como forma de prover alimentos suficientes à população e gerar empregos, fortalecendo as capacidades técnicas e produtivas acompanhadas de um acesso facilitado ao financiamento, com apoio constante em termos de cooperação técnica por meio de organismos internacionais como o IICA.

“Durante anos, focamos nossos esforços principalmente no turismo, mas, recentemente e após a Covid-19, mais atenção foi dada à agricultura. Temos que fazer as duas coisas, para atender à indústria do turismo com produtos frescos e oportunidades de trabalho para a população”, expressou Peter David, Ministro da Agricultura, Florestas e Terras de Grenada.

Por sua vez, Fidel Neil Grant, Ministro da Agricultura e Segurança Alimentar da Dominica, manifestou que “gostaríamos de uma abordagem mais centrada nos negócios da agricultura e pesca, não temos informações suficientes de produção para que os bancos desembolsem empréstimos, os produtores não estão capacitados neste sentido. Estamos trabalhando junto com o IICA para apoiá-los”.

Na reunião, eles concordaram com a visão de que a pandemia, com a crise que gerou, traz também a possibilidade de solucionar problemas estruturais, como a falta de capacitação e a abertura da região a novos negócios agropecuários.

“Nossos países estão vivendo um impulso renovado de consumir o local, gerando um novo interesse e maior vigor na agricultura. Não precisamos esperar pela próxima pandemia para enfrentar desafios que vemos se arrastando há muito tempo. Com um enfoque holístico estamos fortalecendo os produtores nas diferentes áreas, para que os pequenos produtores possam desenvolver-se e reduzir a conta das importações”, disse Alexis Jeffers, Ministro da Agricultura, Terras, Habitação, Cooperativas e Pesca de Saint Kitts e Nevis.

“Houve uma total concordância dos ministros sobre a importância do aporte do IICA e no apoio às propostas do IICA para empoderar os agricultores familiares, por exemplo, por meio da assistência através da telefonia celular. Também na necessidade de cuidar dos recursos hídricos e dos solos”, afirmou o Diretor-Geral do IICA, Manuel Otero, que antecipou o próximo lançamento por parte do organismo especializado de um programa hemisférico de recuperação de solos e solos vivos em parceria com o Universidade Estadual de Ohio.

Otero também expressou a disposição do IICA de aumentar o apoio ao Caribe em matéria de comércio e sanidade agropecuária, e ofereceu a conformação de um foro permanente de diálogo para que a região mantenha a interlocução ativa diante da crise, que exige soluções supranacionais.

“Nosso compromisso é contribuir para alcançar o aumento dos níveis de produtividade, para reduzir as importações de alimentos. O IICA está aumentando seu apoio à promoção da segurança alimentar e nutricional. É hora da resiliência”, disse o Diretor-Geral do IICA, instituição que está mobilizando relevantes recursos financeiros no Caribe.

Desafios e oportunidades

Um aspecto destacado foi o quanto a região precisa se integrar, em que países com vantagens competitivas complementares poderiam fazer a diferença para levar a agricultura caribenha a um novo patamar.

“Devemos desenvolver um nível de apoio muito firme para incrementar nossa produção agrícola. Devemos assumir a iniciativa de estabelecer relações entre os países para intercambiar conhecimentos e fortalecer nossas posições”, disse Samantha Marshall, Ministra da Agricultura e Pesca de Antígua e Barbuda.

Em apoio a essa transformação da agricultura caribenha, o IICA executou, em coordenação com os diversos Ministérios, projetos para respaldar o crescimento sustentável de setores como a apicultura, pecuária, avicultura, produção de alimentos em ambientes protegidos e incorporação de tecnologias digitais.

“Reconhecemos o vasto potencial da agricultura no Suriname. Hoje o desenvolvimento da cadeia de valor do coco e o fortalecimento da apicultura são de extrema importância para o nosso país. O IICA tem contribuído para a geração de capacidades em diversos campos, como agricultura inteligente e clima”, mencionou Parmanand Prahlad Sewdien, Ministro da Agricultura do Suriname.

Segundo os ministros, a cooperação proporcionada pelo IICA tem sido fundamental para a agricultura da região e se torna ainda mais valiosa no momento em que o setor adquire uma nova relevância.

“Sua equipe tem ajudado muito no campo com os pequenos agricultores para dar insumos e remédios para o gado. Isso nos serviu para ter um enfoque mais estruturado em atenção à pandemia”, destacou a Ministra Marshall, de Antígua e Barbuda.

“A maioria dos problemas que limitam a agricultura no Caribe são supranacionais. Concordamos com a necessidade de empoderar os pequenos agricultores, a única maneira de empoderá-los é capacitando-os em áreas que mudam o paradigma como a bioeconomia. Devemos avançar nesse caminho, protegendo e aproveitando de forma sustentável a água, os solos e, principalmente, visando a biotecnologia de forma mais intensiva”, destacou Otero.

Mais informação:
Gerência de Comunicação Institucional do IICA. 
comunicacion.institucional@iica.int