Ir Arriba

Objetivo, ao longo do primeiro semestre, foi apresentar plano de ação do IICA, discutir temas contemporâneos que envolvem a ruralidade e explorar possibilidades de cooperação

Gabriel Delgado reuniu-se com representantes de vários setores da agricultura e da pecuária

Brasília, 22 de julho de 2021 (IICA) - Ao longo do primeiro semestre, o representante do IICA no Brasil, Gabriel Delgado, que assumiu o posto em Brasília em novembro do ano passado, realizou mais de cem encontros com representantes de diversas Instituições. Parte dessas reuniões foi feita com entidades e empresas de diferentes setores produtivos das cadeias da agropecuária para apresentar o trabalho que o Instituto vem desenvolvendo no Brasil e os planos do IICA para as emergentes agendas - de mudanças climáticas a discussões sobre os sistemas e padrões alimentares -, que os tempos atuais impõem tanto para a cooperação técnica quanto para a produção, o comércio e o bem-estar rural.

Encontro de apresentação de Gabriel Delgado
Desde janeiro, foram mais de cem encontros com diversos setores

Exemplo desses encontros foi a reunião com Décio Coutinho, presidente-executivo da Associação Brasileira de Reciclagem Animal (ABRA), com quem o IICA prepara um acordo de cooperação técnica e desenvolve um plano de trabalho para a realização de um evento internacional virtual sobre alimentação animal, previsto para novembro, com a participação dos países membros do IICA. O objetivo é compartilhar marcos regulatórios, desafios e sinergias e explorar possibilidades de trabalho conjunto regional ou hemisférico.

O foco de encontros foi apresentar o plano de ação do IICA, que tem como base  a bioeconomia e o desenvolvimento produtivo; o desenvolvimento territorial e a agricultura Familiar; o comércio internacional e a integração regional;  a sanidade agropecuária e inocuidade dos alimentos; além das mudança do clima, os recursos naturais e as gestão de riscos produtivos como eixos estratégicos de atuação. Esses cinco eixos são permeados por preocupações com gênero e juventude e inclusão de inovação e tecnologia, dois temas transversais do Instituto.

Outro tema que tem permeado os encontros é a Cúpula dos Sistemas Alimentares, convocada pelas Nações Unidas para setembro, em que o IICA, que foi denominado uma das instituições "campeãs de Cúpulas" tem um papel importante ao mobilizar, por meio de seu diretor-geral, Manuel Otero, o setor agrícolas da Américas.  

“Esses encontros são muito importantes para vislumbrar a possiblidade de parcerias sobre temas contemporâneos relevantes como segurança e qualidade alimentar, inovação e inclusão, novos bens públicos e hábitos de consumo e mercados, entre outros. E também para falar sobre o Plano de Médio Prazo (2018-2022), que tem propiciado a evolução do modelo de cooperação técnica do IICA, que é orientado para realizações concretas e visíveis, e para facilitar transformações positivas nos setores agrícola e rural dos nossos 34 estados membros”, afirma Delgado.

Além da ABRA, Gabriel também se reuniu com os outros dirigentes de entidades que representam o setor privado das cadeias agropecuárias, como a Associação Brasileira do Agronegócio (Abag), Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS), Associação Brasileira de Irrigação e Drenagem (Abdib), Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiovi), Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Associação Brasileira dos Produtores de Milho (Abramilho), Associação Nacional dos Distribuidores de Insumos Agrícolas e Veterinários (Andav), Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprasoja), o Centro Internacional de Energias Renováveis ( CIBiogás), a Sociedade Rural Brasileira (SRB), a Confederação Nacional da Agricultura (CNA), o Conselho Nacional do Café (CNC), as empresas Bayer e Bioceres, a plataforma AgTech Kilimo e Empresa Brasileira de Saneamento da Bahia (Embasa, empresa de capital misto).